twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Notícias

09/01/2015

Nem tudo é o que parece: evite armadilhas ao planejar sua viagem online

A internet transformou os hábitos das pessoas, tanto no mundo do trabalho quanto fora dele. E, para os turistas, a chegada da rede mundial de computadores significou uma verdadeira revolução na forma de planejar uma viagem. Ficou muito mais fácil escolher um destino que vai além da mesmice oferecida pelas grandes agências, por exemplo. Atualmente, bastam alguns cliques para se conhecer tudo sobre um lugar, por mais paradisíaco que seja, com direito a fotos, vídeos, indicações de hospedagem e até dos melhores restaurantes e atrações para visitar.

Uma vez conectado, o turista encontra na rede tudo o que ele precisa para organizar a viagem. Não só faz reservas online, compra ingressos para atrações do outro lado do mundo, aluga carros, adquire passagens aéreas, como também compara preços e lê a opinião de turistas do mundo inteiro sobre um determinado local.

“Em sites de comparação de preço, você pode calcular com precisão os custos de passagem e hotel, sem precisar ir a uma agência física. Sem contar que os fóruns de viagens trazem dicas excelentes”, diz Lélio Galdino Rosa, coordenador do MBA em Gestão Hoteleira da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Mas tanto os sites de pesquisa de preços quanto os que reúnem comentários de turistas são mais úteis quando o internauta conhece os seus macetes e tem em mente que nem tudo o que está na internet é verdade absoluta. A seguir, o UOL Viagem dá dicas para você tirar o máximo proveito dessas ferramentas, sem cair em armadilhas.

Quer pagar quanto?

Getty Images

Sites que comparam preços e vendem passagens e hospedagem são práticos e, muitas vezes, possuem ofertas que nem os turistas mais dedicados poderão encontrar em lojas físicas. Mas, antes de tirar o cartão de crédito da carteira, é preciso saber se o valor final da compra será realmente igual ao destacado na página principal do portal. Isso porque, em muitos casos, o preço anunciado não inclui as taxas cobradas sobre o produto. O custo final tende a aparecer só na última etapa da compra. Por isso, tente não se empolgar demais até chegar a esse estágio.

Também não vale fechar negócio no primeiro site de busca que entrar. “Muitos sites possuem convênios com determinados hotéis e companhia aéreas, por isso, possuem melhores condições. Então, é importante fazer mais de uma pesquisa para ter certeza de que está colhendo vantagens, de fato”, explica Beatriz Nahuz, da consultoria de viagens The Personal.

Os preços podem variar bastante de acordo com o dia da viagem. Como regra geral, quanto mais flexibilidade você tiver para embarcar, melhor negócio fará. Assim, sempre que possível, pesquise os valores para o dia pretendido, para um dia antes e um dia depois.

Fique atento, ainda, ao número de escalas que aquele voo com preço convidativo fará. Às vezes, você pode até pagar mais barato, mas perderá um dia inteiro de viagem descendo do avião e tomando chá de cadeira no aeroporto.

Filtre os comentários

Getty Images

O Tripadvisor virou referência entre os turistas que buscam opiniões sobre lugares e serviços, mas muitos blogs e sites de viagens trazem dicas valiosíssimas de leitores por meio da caixa de comentários. No entanto, quem não está acostumado a ler essas opiniões pode se deixar influenciar demais pela visão alheia. E, nesse quesito, todo cuidado é pouco.

Ao ler um comentário – antes de tudo – é preciso conferir se a pessoa que se dedicou a escrever registrou uma identificação. Afinal, é muito fácil dizer o que bem entende contando com o benefício do anonimato. Além disso, considere que opiniões sempre serão tecidas de acordo com as preferências do turista e o que agrada a um não necessariamente agrada ao outro. Um casal em lua de mel, por exemplo, buscará atrações diferentes de uma família com criança pequena ou de um mochileiro solitário. Por isso, é importante avaliar se aquela crítica ou elogio faz sentido para você.

Também é importante aprender a identificar os internautas que estão na rede só para fazer intrigas. “Existem pessoas que reclamam, por exemplo, do horário de funcionamento da sauna do hotel”, diz Lélio Galdino Rosa. Tem, ainda, aqueles que confundem a quantidade de estrelas da hospedagem e, depois, desabafam na rede social. “Há turistas que esperam de um hotel econômico o padrão de serviço de um hotel de luxo”, diz Rosa.

Muitas vezes, as reclamações acontecem porque a pessoa entendeu mal o serviço oferecido, como explica a gerente de marketing da ITA Travel Card Assistance, Sheila Iañe. “Pode acontecer, por exemplo, de um turista reservar um quarto triplo para viajar com três amigos. Perto da data de embarque, uma quarta pessoa resolve ir junto. Daí, ao chegarem ao hotel, eles querem que seja colocada cama extra no quarto. Só que, se isso não for permitido, poderá haver reclamação do serviço”, diz.

Por outro lado, se houver muito mais comentários negativos do que positivos em relação a um determinado local ou serviço, entenda como um sinal claro para mudar os seus planos de viagem.

Fonte: UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Parceiros

Revista Travel 3