twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Notícias

09/08/2016

Passageiro aéreo: cadê a educação?

Por Luciana Atheniense

Apesar da crise financeira que assola o país, o movimento dos aeroportos nacionais continua intenso, principalmente no período de alta temporada.

Diante desse fato, torna-se imprescindível que os passageiros, independente da classe social ou do objetivo da viagem, comportem-se com educação durante todo o trajeto aéreo contratado.

É comum mencionar os direitos do passageiro em relação às empresas aéreas, entretanto não se pode esquecer e tampouco banalizar a educação social daqueles que utilizam esse transporte.

Não aprecio criticar o comportamento social do brasileiro, mas já se tornou corriqueiro e, sobretudo, constrangedor se deparar com a falta de “limites” de alguns passageiros aéreos.

A norma para os passageiros “prioritários” (idosos, portadores de necessidade especiais), por exemplo, deve ser respeitada, entretanto há passageiros que esquecem ou demonstram descaso e impaciência em obedecê-las.

Outra situação intolerável é o grupo de adolescentes que possui o hábito de falar alto e desconsiderar o ambiente ameno do voo ou da sala de embarque.

Há pessoas que, de forma descortês, costumam se levantar do assento, após a aterrissagem, mesmo cientes de que a aeronave ainda está em movimento, em busca de realizar sua parada definitiva.

Rude-passenger-on-the-airplane-©-FEAT2

Estas situações exemplificadas, infelizmente, são cotidianas, mas merecem ser repensadas e modificadas.

Nesse sentido, a consultora Silmara Leite Ribeiro Santos, coordenadora do curso de Etiqueta e Comportamento Corporativo do Centro Europeu de Curitiba, salienta que a preocupação com o comportamento em ambientes públicos, neste caso nos aeroportos e aviões, é fundamental e gera simpatia: “Falar de etiqueta no mundo de hoje pode parecer frivolidade. Muitas vezes as pessoas ligam a palavra Etiqueta à ostentação e ao luxo. Puro engano. A boa educação, as normas e regras devem ser observadas e cumpridas para vivermos dignamente em sociedade. A etiqueta é importantíssima em todas as classes sociais, no nosso dia a dia”.

A consultora fornece algumas dicas de etiqueta para que a sua viagem não cause transtornos:

– Respeite o horário de antecedência em sua viagem. Em virtude das novas imposições da ANAC em relação à revista no raio X, o que está acarretando longas filas, é aconselhável antecipar ainda mais sua chegada no aeroporto: duas horas para voos nacionais e três horas voos internacionais.

– Procure levar apenas uma bagagem de mão;

– É interessante deixar todos os objetos metálicos em uma única bagagem. Assim ela será facilmente conferida pelas autoridades, poupando, inclusive, o tempo de quem está atrás de você;

– Se for conversar, respeite os demais. Quanto mais tranquilo e calmo for o ambiente, melhor;

– Entre no avião calmamente procurando sua poltrona. Caso encontre alguém sentado, confira com a pessoa a numeração do seu assento. Gentilmente, diga que deve ter havido algum engano e que aquela poltrona está marcada em sua passagem;

– Quando for deitar sua poltrona, antes dê uma olhada para o passageiro que está atrás de você. Não se espreguice e evite ao máximo bocejar;

– Se por acaso você percebeu que um casal ficou separado ou um filho com os pais, não há nada de errado em se oferecer para trocar de poltrona. Será gentil e elegante de sua parte;

– Modere os movimentos dos braços ao ler jornal e revistas. As pessoas sentadas ao seu lado agradecem. Se for usar qualquer aparelho eletrônico, cuidado no volume que os coloca;

– Evite bebidas alcoólicas;

– Nada de gracinhas e respeite as orientações passadas pelos comissários de bordo;

– Algumas pessoas gostam de tirar fotos durante o voo, em especial os adolescentes. Faça isto de modo discreto;

– Aguarde o avião parar por completo para, aí sim, levantar-se e pegar sua bagagem. É desagradável ver as pessoas eufóricas, pegando de qualquer jeito os pertences de mão e atrapalhando os demais e ficando de pé no corredor.

Essas dicas sociais devem ser repensadas e, sobretudo, executadas por todos aqueles que optam por utilizar o transporte aéreo coletivo e almejam realizar uma viagem tranquila sem contrariedades. Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Parceiros

Revista Travel 3