twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Artigos

14/07/2015

Atenção com a conexão internacional

t3-31-capa-web-1Artigo da advogada Luciana Atheniense publicado na Revista Travel 3 – Junho 2015

Estatísticas comprovam o aumento na oferta de rotas internacionais no Brasil, o que inclui os voos de conexões internacionais. Deve-se ter atenção na contratação desses percursos, principalmente em relação aos horários entre o desembarque de um voo e o embarque do próximo.

O consumidor, convicto de que conseguirá realizar todos os trechos confirmados pela empresa aérea, não tem a preocupação de verificar o intervalo de tempo entre os voos contratados, pois, se o tempo for limitado, poderá comprometer a chegada até o seu destino final.

Vale ressaltar que é comum a demora no desembarque dos passageiros nos voos internacionais. Nos grandes aeroportos no exterior, há terminais distintos situados em locais distantes dos voos procedentes da América do Sul (Brasil) e dos demais do mesmo continente, que correspondem ao destino final contratado. Portanto, nem sempre o passageiro conseguirá se deslocar com a rapidez que almeja. Além disso, poderá ter dificuldade em conseguir se comunicar no idioma local e, até mesmo, em compreender de forma breve e correta as sinalizações do aeroporto.

Na primeira parada de conexão internacional, são comuns os procedimentos de imigração, podendo o passageiro estrangeiro (brasileiro) deparar com filas longas, impondo-lhe uma espera prolongada e obrigatória. Ele também poderá encontrar, durante o percurso até o terminal ou portão do embarque, um comércio variado, com diversas lojas francas, isentas de tributos, também denominadas “Duty Free Shops”. Nesse caso, aconselha-se a não permanecer por muito tempo no local, principalmente se ainda não encontrou o portão do próximo voo que deverá embarcar.

Essas dicas são direcionadas aos passageiros, que têm a obrigação de comparecer nos aeroportos com a antecedência necessária e nos horários indicados pelas companhias aéreas. Por outro lado, essas mesmas empresas não podem ser eximidas da responsabilidade de executar os voos nos horários contratados, salvo por motivo de força maior, como problemas meteorológicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Parceiros

Revista Travel 3