twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Na Imprensa

28/07/2014

Conheça os dez golpes comuns aplicados em turistas no exterior

Taxistas, grupo de jovens, serviços de entrega, ônibus mais baratos e até ‘arremesso de bebês’. Os transtornos para turistas desavisados podem vir de várias fontes, segundo uma operadora de turismo britânica que apontou os golpes mais comuns. A partir de relatos de clientes, a Justtheflight.co.uk elaborou uma lista com quarenta golpes e apontou onde eles são mais comuns. Confira uma seleção dos dez mais inusitados:

Hotel-fechado-size-620Hotel fechado: O turista indica para o taxista o nome do hotel onde pretende se hospedar. O taxista, que recebe comissões de outros hotéis, afirma que o estabelecimento em que o turista fez a reserva está fechado por algum motivo (reforma, férias, vigilância sanitária) e então indica um hotel mais caro. Onde ocorre: países da Europa

Bracelete ou fitinha: uma pessoa aborda o turista oferecendo um bracelete ou fitinha supostamente típico da região. O golpista nem espera pela resposta do turista e já vai prendendo o objeto em seu pulso. Em seguida faz pedidos insistentes por dinheiro, muitas vezes se aproveitando da confusão do turista. O artifício também pode ser usado para distrair o turista enquanto seus bolsos são esvaziados. Onde ocorre: Paris, Barcelona, Roma e Cairo

Bebê: um dos golpes mais inusitados da lista. Uma mulher com o que parece um bebê nos braços (normalmente é uma boneca), atira o objeto nos braços do turista. Enquanto o viajante tenta segurar o objeto e entender o que está acontecendo, cúmplices aproveitam para esvaziar seus bolsos e levar suas malas.  Onde ocorre: Roma

dollar-size-620Estudantes de inglês: um grupo de adoráveis moças que estudam inglês aborda um turista desavisado com o pretexto de treinar o idioma com um estrangeiro. No desenrolar da conversa, elas convidam o turista para tomar um café ou comer alguma coisa em um restaurante. Quando a conta chega, elas já deram um jeito de escapulir. Onde ocorre: principais cidades da China

Falso delivery: golpistas distribuem em hotéis cardápios de serviços de entrega de refeições de restaurantes que não existem. O hóspede, ao fazer o pedido, passa os dados do cartão de crédito, mas a entrega, claro, nunca é realizada. O susto – e os transtornos – vem quando ele recebe a fatura no cartão. Onde ocorre: EUA

Petição ou campanha de qualidade: um grupo de jovens pede que o turista assine uma petição em prol de uma causa bem-intencionada e em seguida pede uma contribuição financeira. É claro que a campanha não existe e os valores vão direto para o bolso dos golpistas. Vários desses grupos lançam mão de discursos que apelam para um sentimento de culpa como arma de convencimento. Ou, ainda pior, aproveitam o momento para encobrir comparsas que furtam os turistas. Onde ocorre: em capitais da Europa que recebem muitos visitantes e em cidades da França.

Ônibus barato: em aeroportos distantes, serviços de ônibus oferecem transporte barato para o centro da cidade. Quando as malas são colocadas no comportimento de bagagens, comparsar do motorista escondidos no compartimento abrem as malas e roubam os itens mais valiosos. Em alguns casos, no entanto, o golpe não tem ligação com a empresa fornecedora do serviço, como aconteceu no ano passado, na Espanha. Ladrões contorcionistas esconderam-se em malas embarcadas por cúmplices e assim que o compartimento era fechado, aproveitavam para sair e roubar itens das bagagens. Onde ocorre: Tailândia e Espanha

Taxista fujão: Segundo o justtheflight.co.uk , após receberem o pagamento pela corrida, alguns taxistas vão gentilmente retirar as malas do porta-malas e as entrega apressadamente para o turista que, quando se dá conta, vê o carro indo embora com malas menores que ficaram dentro do carro. Onde ocorre: Las Vegas (EUA)

Falsos policiais: Um grupo de falsos policiais aborda o turista e adverte que foram registrados vários casos de falsificação de dinheiro na área. Pedem então para checar os valores na carteira do forasteiro. Antes de devolver a carteira, aproveitam para subtrair algumas notas. Onde ocorre: México, Romênia, Colômbia e Tailândia

 

Câmera quebrada: Um grupo de pessoas pede para o turista tirar uma foto delas e lhe entregam uma câmera. Só que o aparelho não funciona. Quando o turista avisa sobre o problema, o grupo o acusa de ter quebrado o equipamento e passa a exigir que ele cubra o “prejuízo”. Onde ocorre: em todos os países

Fonte: Veja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + 9 =

 

Parceiros

Revista Travel 3