twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Dicas de Viagem

Viajei para os EUA e ao retornar a companhia aérea responsável pelo voo me informou que havia um overbooking e eu teria US 350 para ficar em Miami por mais um dia, além de hospedagem. Tenho direito de entrar com uma ação contra a companhia aérea nesse caso?

Sabemos que a empresa aérea costuma vender mais passagens do que a capacidade da aeronave, sob a alegação de que há passageiros que não comparecem para embarque apesar da reserva confirmada (no show). Entretanto, esse procedimento não pode prejudicar o cliente, que confirmou a passagem e compareceu ao aeroporto para o embarque com a antecedência necessária. A empresa, apesar de ter fornecido 350 dólares e a hospedagem, não agiu de forma correta ao impor essa condição ao seu passageiro. Você deveria ter tido a liberalidade em aceitar a proposta monetária fornecida pela empresa ou exigir o cumprimento do serviço aéreo, ou seja, retornar ao Brasil no dia e voo contratado. Nesse caso, há juízes que concedem danos morais aos passageiros, em virtude do descumprimento contratual da empresa gerando fadiga ao passageiro, por não ter conseguido embarcar conforme esperava.

O hotel é responsável pelo furto que ocorre dentro do quarto do hóspede?

O próprio estabelecimento precisará arcar com os prejuízos causados ao hóspede. Aqueles avisos – comuns no Brasil – de que o hotel não se responsabilizará pelos pertences deixados no quarto devem ser desconsiderados, pois, além de você (hóspede), os únicos que terão acesso ao seu quarto serão os próprios funcionários do hotel. Ainda assim, para evitar problemas, procure deixar dinheiro, joias, cheques e objetos mais valiosos no cofre do estabelecimento. Caso haja um furto, comunique o fato ao gerente do hotel, formalizando a sua reclamação por escrito. Em seguida, procure a Delegacia de Polícia e relate o ocorrido.

Fiz o check-in pela internet, o que faço com a minha bagagem?

Caso você esteja sem bagagem ou apenas com bagagem de mão, deve imprimir o cartão de embarque e seguir diretamente  para o portão de embarque indicado pela companhia aérea, no horário informado pela empresa.

Se estiver com bagagem a ser despachada, vá ao balcão de check-in da companhia, com tempo suficiente para se identificar, despachar a bagagem presentar-se no portão de embarque, no horário informado pela empresa aérea. Algumas empresas têm balcões exclusivos para o despacho da bagagem.

Pretendo viajar ao exterior e levarei dois cartões de crédito internacionais, de bandeiras distintas, para realizar meus gastos pessoais. Quais as dicas?

Apesar de você optar em utilizar o cartão de crédito em sua viagem internacional, aconselho levar também uma quantia de dinheiro em espécie. Em relação aos cartões de crédito seguem algumas dicas:
– Antes da viagem, tenha a cautela de verificar a data de validade dos cartões;
– Tenha um registro pessoal dos respectivos números, para, se necessário, fazer o cancelamento de forma rápida, principalmente de for vítima de furto ou roubo;
– Antes de querer adquirir um produto ou serviço, verifique se o estabelecimento aceita um dos cartões de crédito de que dispõe.

Farei uma viagem interestadual com meus sobrinhos de 14 e 7 anos. Só preciso portar as certidões de nascimento (originais) e documento de identidade deles?

Certo. Tios, viajando com seus respectivos sobrinhos dentro do Brasil, não precisam de autorização do juizado, nem dos pais dos menores. Basta que o tio leve a certidão de nascimento da criança de 07 anos (original ou cópia autenticada). Já o adolescente de 14 anos não entra nesta situação por ter mais de 12 anos e não precisar mais da autorização do Juizado para viajar. Ele pode viajar apenas levando sua identidade original.

Página 3 de 2512345...101520...Última »
 

Parceiros

Revista Travel 3