twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Notícias

05/02/2019

Segmentos do Turismo Mineiro se reúnem para discutir o impacto da tragédia de Brumadinho

Luciana Atheniense (à dir.) e Carlos Altman, do jornal Estado de Minas; Mônica Castro, do Sebrae; Marcos Valério Rocha, da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação; Beth Ribeiro, da ACMinas; e Roberto Fagundes, da Federaminas

Assim como aconteceu em Mariana, as cicatrizes deixadas pelo desastre de Brumadinho serão eternas. Definitivamente o que aconteceu nas 2 cidades mineiras não pode jamais se repetir no Brasil. Sabe-se hoje que existe um grande número de barragens de alto risco próxima de cidades e áreas turísticas.

Imediatamente a tragédia que ocorreu com a Pousada Nova Estância vem à tona, assim como o pensamento de que pousadas e atrações turísticas podem estar próximas das áreas de impacto, no caso de novos rompimentos.

Buscando a união dos vários segmentos do turismo, a advogada Luciana Atheniense, convocou uma reunião para discutir medidas legais e planos para prevenir novos crimes ambientais e humanos como os de Brumadinho e Mariana.

Luciana, que é membro da Comissão de Direito do Consumidor da OAB/MG, integrante da Comissão Especial de Defesa do Consumidor da OAB Federal e especialista em direito para o turismo, se diz ainda abalada com a catástrofe que ceifou centenas de vidas e destruiu o meio ambiente local.

A tragédia de Brumadinho acarretou danos inimagináveis à cidade, à população e ao meio ambiente e, principalmente, causou a morte de pessoas, o que deixa todos nós indignados. Precisamos agir para impedir a negligência e a ganância das empresas mineradoras. – Luciana Atheniense – Advogada. 

O grande receio de Atheniense é que nos próximos meses aconteça uma redução na demanda de turistas nas pousadas localizadas próximas às barragens consideradas de alto risco, como em Nova Lima (barragens Mina Engenho 1 e 2) + Rio Acima (barragens B1 e B2) e Ouro Preto (barragem Água Fria).

Participaram da reunião nomes de peso do Turismo Mineiro = Beth Ribeiro, vice-presidente do Conselho da ACMinas + Hernani de Castro Júnior, vice-presidente da Federação de Convention & Visitors Bureaux do Estado de Minas Gerais + Marcus Valério Rocha, presidente da FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação + Mônica de Alencar Castro, técnica de turismo do Sebrae de Belo Horizonte + Roberto Fagundes, vice-presidente da Federaminas – Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Minas e presidente do Conselho da Fundação de Turismo e Eventos de Belo Horizonte.

Todos unidos por Brumadinho e em prol do Turismo Mineiro

Ao final da reunião os participantes resumiram suas ideias e perspectivas de atuações dos respectivos segmentos:

Estamos trabalhando intensamente para tentarmos conseguir reverter a posição do Governo de Minas na junção das 2 secretarias – de Turismo e de Cultura – em uma só = Secretaria de Estado de Cultura e Turismo. Sabemos que é uma luta grande, mas compartilhamos a mesma opinião que os nossos colegas da Cultura: as especialidades de cada segmento precisam ser ressaltadas. A tremenda tragédia de Brumadinho nos deixa consternados. Estamos torcendo para que Inhotim volte a funcionar em breve e continue trazendo o mundo para Brumadinho e Minas Gerais.  – Roberto Fagundes. 

Dentre as várias pautas discutidas, sem dúvida a mais importante é a de Brumadinho. O Sebrae está presente e atuante, buscando encontrar um caminho de trabalho após esse período tão traumático. Minas Gerais precisa resgatar o lugar que lhe é devido no cenário do turismo nacional e internacional e nós do Sebrae estamos prontos a contribuir.  – Mônica Castro

É lamentável o que ocorreu em Brumadinho. Nossa mineiridade foi arranhada. Esperamos que as autoridades nos planos municipal, estadual e federal olhem com mais carinho para a população brasileira e entendam que não é possível mais tanta negligência. Nós, enquanto cidadãos, precisamos ficar mais atentos para atuarmos em nossos núcleos de relacionamentos profissional, social e familiar, pois só desta maneira conseguiremos avançar, como um país progressista.  – Marcos Valério Rocha

Luciana Atheniense Reuniao

Bombeiros e civis, juntos, prestam respeito às vítimas de Brumadinho (Foto: Bombeiros MG/Divulgação)

Neste momento não há como reativar o turismo na região de Brumadinho. Até lá, as entidades do turismo precisam ter um mesmo discurso e precisam atuar em conjunto. União é a palavra. Dentro do trágico cenário de Brumadinho, entendemos que precisamos esperar o processo de recuperação do município. O principal atrativo da região é Inhotim, que está fechado. Sabemos que existe um grande projeto no Ministério do Turismo que inclui as cidades de Mariana e Brumadinho. Nossa ideia é tentar, junto ao ministro da pasta, liberar esta verba para as 2 cidades. Esta verba é gerida pelo Sebrae e assim conseguimos fazer um trabalho efetivo, junto às comunidades ligadas direta ou indiretamente ao turismo. – Beth Ribeiro

Fonte: Travel 3 – por Claudia Tonaco – in Acontece no Turismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =

 

Parceiros

Revista Travel 3