twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Notícias

29/09/2014

Viaje barato: onde dá pra economizar mais e onde não rola ser mão de vaca

viagem1Você se surpreenderia se soubesse o quão barata uma viagem pode se tornar. Mesmo para os destinos mais caros do mundo, dá pra economizar bastante. A lista de técnicas e manhas pra chegar em um custo de viagem mais barato é extensa: viaje em dupla, agende você mesmo sua passagem e seu hotel, use milhas, procure passagens com cerca de três meses de antecedência, fique em um hostel, durma na casa de alguém via couchsurfing, fique em um lugar com cozinha e faça comida em casa, compre suas refeições no supermercado, ande a pé, confira as datas em que os museus são grátis pra entrar, leve sua carteirinha de estudante ou de jornalista, por exemplo, para conseguir desconto em atividades turísticas… ufa!

Essas são as dicas que todo mundo já sabe, mas essa lista vai mais longe. Há quem sacrifique o bem-estar e a segurança em nome de uma economia que, na ponta do lápis, não vai valer a pena. Por outro lado, tá cheio de gente gastando dinheiro em serviços e produtos desnecessários. É por isso que selecionamos algumas dicas pra manter o equilíbrio do bolso e do bem estar:

Não economize no seguro-viagem
Muita gente deixa de fazer seguro viagem quando viaja pelo mesmo motivo que não faz outros seguros: é uma grana a mais que faz falta e que só vai ter retorno caso algo de ruim aconteça. Não queremos que algo de ruim aconteça e não queremos contar com essa possibilidade. Também não queremos gastar dinheiro, então deixar de pagar o seguro é uma solução confortável para os dois problemas.

Mas você não consegue imaginar a dor de cabeça que vai economizar se precisar usar o seguro, mesmo que seja para algo simples. Hospital é um serviço caríssimo. Uma vez, na minha primeira temporada no Panamá, um país com temperaturas altíssimas ao ar livre e onipresença de aparelhos de ar-condicionado que fazem gear em ambientes fechados, eu não me dei muito bem com o choque térmico constante. A tosse logo evoluiu pra febre, dor no peito e dificuldade pra respirar e depois de uma semana sem melhora usando antigripais, resolvi finalmente por o seguro viagem em ação. Fui a um hospital particular e fui examinada pelo médico, fiz exames simples e uma inalação. Não fiquei lá mais do que três horas. A conta foi de 700 dólares, reembolsada com tranquilidade um mês e meio depois pelo meu seguro viagem, do World Normads. O seguro pra dois meses de viagem custou 150 dólares.

O resumo: seguro viagem não é muito caro e não fazer pode significar uma dor de cabeça grande demais. Faça.

Você pode beber água da torneira e comer comida de rua sem medo em muitos lugares
Há países em que você pode encher a garrafinha de água na pia e comer comida de rua sem medo de passar o dia seguinte no banheiro (ou qualquer coisa mais grave que isso). Informe-se sobre a qualidade da água de torneira antes de gastar os tubos comprando garrafinhas d’água. Para a comida de rua, tente avaliar quantos locais estão comendo ali e quão familiarizados eles parecem ser com o dono da barraca. Essas são as duas grandezas a se considerar na hora de avaliar suas possibilidades de alimentação x intoxicação. Na dúvida, melhor não arriscar.

Quer comer em lugares mais caros? Vá no almoço
Muita gente, quando viaja, não pode comer fora ou em lugares caros todos os dias. O legal é poder fazer isso algumas vezes durante a viagem. Pra economizar ainda mais, vá no almoço, que quase sempre vai ser mais barato do que o jantar em lugares mais sofisticados. Não deixe de experimentar pratos locais por causa do custo e use essa dica pra equilibrar isso.

Hospede-se em um local um pouco afastado da cidade
Claro que depende do estilo da sua viagem, mas se você estiver alugando um carro, estiver indo pra um lugar com transporte público excelente ou mesmo topar alugar uma bicicleta, pode economizar se ficar em uma região mais afastada do centro turístico. Você ainda ganha em conhecer mais de perto o cotidiano real da cidade que visita, e não a área turística que geralmente parece uma cidade cinematográfica e, usando transporte, carro ou bike, conhece a cidade melhor. Win-win.

Faça as reservas quando chegar
Reservar e organizar tudo antes pode ser tentador, mas atrações turísticas, acomodação e transporte interno podem ser mais baratos se você reservar localmente, quando chegar, e não pela internet. Você pode pesquisar a disponibilidade e localização dos serviços online, por exemplo, mas pode ganhar se deixar a reserva em si pra viagem.

Nos guias de viagem, use a seção que informa sobre golpes
Em grandes cidades turísticas, muitos golpes parecem só uma situação em que você perdeu dinheiro “por azar”. Entender como essas coisas funcionam com antecedência pode te livrar de situações pelas quais ninguém quer passar viajando. Ou seja: talvez valha a pena comprar aquele guia de viagem.

Antes de viajar, se informe sobre o preço médio das coisas no local
Valores de taxi, de comida e bebida, por exemplo, são essenciais pra não ser enganado. E não adianta perguntar pro amigo quanto ele gastou por dia em determinado lugar, porque cada um tem seu estilo de viagem. Use sites como o Numbeo, que informam o preço médio de bens de consumo e serviços populares em milhares de cidades do mundo.

Fonte: Galileu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 11 =

 

Parceiros

Revista Travel 3