twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Dicas de Viagem

Pretendo alugar a casa de um amigo para passar o fim de ano em Búzios e fizemos um acordo verbal. É interessante fazer um contrato? 

É imprescindível formalizar este acordo em um documento próprio.Faça um contrato, contendo tudo o que foi tratado verbalmente, discriminando data de saída, nome e endereço do proprietário, preço e forma de pagamento, local de retirada das chaves, tipo e número de cômodos, garagem, etc. Caso o imóvel seja mobiliado, devem constar neste documento a descrição de seu estado de conservação e a relação de móveis e utensílios disponíveis. Ao final da locação efetue nova vistoria.

 

Viajarei pela primeira vez de avião e verifiquei que a empresa fornece o serviço de check-in online. Como é este procedimento? 

O check-in online é a opção que o passageiro tem para economizar tempo e evitar filas nos aeroportos. Este procedimento permite confirmar a presença no voo e escolher o assento desejado. Isto pode ser feito a partir de 24 horas antes do horário dos voos.

Seguem as orientações para realização de check-in online:

· Acesse o site da companhia aérea escolhida;

· Identifique-se: para isso, digite o número do cartão fidelidade, o número de bilhete eletrônico ou o número da reserva;

· Selecione o voo para o qual deseja fazer o check-in;

· Selecione o assento no mapa da cabine. Você pode confirmar o assento sugerido ou alterá-lo de acordo com a disponibilidade apresentada;

· Escolha a forma de recepção do cartão de embarque de acordo com as opções apresentadas pela companhia aérea;

· Dirija-se ao balcão da companhia aérea no aeroporto com o cartão de embarque para despachar a bagagem. Se não houver qualquer item a ser despachado, o passageiro pode seguir direto para o portão de embarque.

Quais as informações básicas que uma empresa de intercambio deve fornecer na publicidade dos seus programas/pacotes?

As informações, dadas em português – pessoalmente, ou em folhetos e outros impressos – devem abordar, de maneira clara e objetiva:

– o preço; as cotações da moeda utilizada; o índice de variação e o custo total, para evitar que o aluno seja surpreendido por inesperados acréscimos e taxas após sua chegada à escola no exterior;
– as opções de pagamento do custo total, as possibilidades e os efeitos de uma eventual desistência;
– as características sócio-econômicas e culturais dos locais de realização dos cursos;
– a tradução e a explicação dos documentos que estiverem em idioma diferente do português;
– a indicação de seus representantes e parceiros no exterior.
– organizações executoras idôneas, que ofereçam aos clientes as informações mais completas possíveis;
– o tipo de programa previsto e, conforme o caso, o tipo de hospedagem, de alojamento e as atividades programadas;
– as documentações necessárias para a viagem, inclusive as relações das vacinas exigidas, visto, passaporte e etc.

Retirei minha mala em perfeito estado de conservação da esteira em meu destino, entretanto, no transporte até o hotel, realizado pela empresa responsável pela excursão com sede em Portugal, minha mala foi quebrada. Reclamei, assim que recebi em mãos minha mala, ao guia da excursão, que acionaria o seguro da empresa, mas que, dificilmente, a empresa ressarciria alguma despesa, pois só o faziam caso a bagagem estivesse completamente inutilizada

Você está amparada pelo Código de Defesa do Consumidor, já que adquiriu o pacote de viagem no Brasil, mesmo que o trecho tenha sido realizado no exterior. Caso a agência de viagem, no Brasil, responsável pela venda do pacote, englobe, dentre outros serviços, guia, seu deslocamento e o de sua mala do aeroporto até hotel, haverá uma responsabilidade solidária em relação aos possíveis danos porventura tenham ocorrido com você ou com sua mala durante o trajeto contratado. Neste caso, independente da extensão do dano em sua mala, haverá uma responsabilidade da empresa local (portuguesa) e solidária, da empresa brasileira que vendeu este serviço, independente do dano superficial ou total da mala transportada. É abusivo restringir esta responsabilidade apenas à suposta danificação da mala que cause sua inutilização.

Meu filho esqueceu um moleton no banco do aeroporto de Confins. Onde ele poderá recorrer para tentar localizá-lo?  

A Infraero, responsável pela administração de 66 aeroportos nacionais, implantou, desde 1992, o setor Achados e Perdidos, no qual é possível reaver os pertences. O setor Achados e Perdidos está localizado no mezanino do Aeroporto Internacional de Confins. O passageiro deve informar claramente e descrever que tipo de pertence foi esquecido ou perdido. A retirada do objeto deve ser feita pessoalmente ou, no caso de um terceiro, este deverá apresentar uma autorização específica com os seus dados e os dados do reclamante, para poder fazer a retirada do objeto.

 

Parceiros

Revista Travel 3