twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Notícias

18/07/2007

TAM antecipará indenizações para famílias, diz presidente da companhia

A TAM deverá antecipar o pagamento das indenizações a familiares das vítimas do vôo 3054. Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, o presidente da companhia, Marco Antonio Bologna, afirmou que a empresa já está tratando dessa questão.

“Cada família está sendo contatada individualmente para tratar do assunto da indenização, de pagamentos antecipados, de valores e datas, sempre dentro dos termos da legislação e obviamente com profundo respeito à dor irreparável que eles têm e ao sigilo desta informação, até por implicações de segurança dessas pessoas”, declarou Bologna. “Posso assegurar que todas as medidas indenizatórias serão feitas da maneira mais rápida possível, incluindo pagamentos antecipados para poder fazer frente às despesas imediatas desses familiares.”

O presidente da TAM ressaltou que todas as vítimas –incluindo as pessoas que estavam a bordo e as que trabalhavam no galpão da Tam Express– têm cobertura do seguro da empresa.

O Airbus-A320 teria derrapado na pista principal de Congonhas, ao pousar. Sem controle, ele cruzou a avenida Washington Luís e atingiu um prédio da TAM Express e um posto de combustíveis. O choque causou um incêndio de grandes proporções. O Corpo de Bombeiros descarta encontrar sobreviventes nos destroços da aeronave.

Crise aérea

Bologna, evitou relacionar o acidente com o Airbus-A320 à crise aérea. Para ele, a crise aérea “é uma questão mais ampla”. “‘Para isso já foram instaladas duas CPIs e também há um trabalho do Ministério da Defesa, por meio do Conac (Conselho Nacional de Aviação Civil)”, declarou.

Perguntado sobre as críticas relativas ao posicionamento do governo diante de problemas no setor aéreo, Bologna afirmou que “o Brasil vive um momento bastante forte da economia, de renda, o que gerou um aumento bastante significativo do transporte aéreo”. “Existem alguns problemas de infra-estrutura. O diagnóstico existe, mas as autoridades estão caminhando e trabalhando para dar continuidade à utilização do transporte aéreo de passageiros e de carga para um país com esta extensão.”

O presidente da companhia afirmou ainda que é cedo para apontar as causas do acidente. Insistentemente, solicitou que se aguardasse o término das investigações

http://www.juristas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 19 =

 

Parceiros

Revista Travel 3