twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS viajelegal

Notícias

29/06/2012

Sites auxiliam reclamações do consumidor na área de turismo

 Sites auxiliam reclamações do consumidor na área de turismoProblemas como voos atrasados ou a falta de um serviço incluso no preço de um pacote vão além de chateações durante uma viagem. Eles ferem os direitos do consumidor, e é preciso saber como garantir os seus.

A primeira medida é entrar no site da companhia aérea ou agência de viagem em questão para acionar os canais de relacionamento com o consumidor. Alguns sites mantém chats para auxiliar os usuários em tempo real.

Caso isso não resolva, aí é hora de procurar ajuda. No caso de problemas em aeroportos, as reclamações podem ser enviadas pelo site da Infraero . Elas também podem ser feitas em postos do órgão em aeroportos.

No caso de queixas sobre companhias aéreas, é possível incluir uma reclamação no site da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), mas ela não terá efeito para casos individuais. Nesse caso, é preciso procurar o Procon ou buscar auxílio na Justiça.

Para isso, é preciso ficar atento para guardar todos os registros que mostram seus contatos e negociações com a empresa em questão. Uma possibilidade prática é procurar os juizados especiais dentro dos principais aeroportos brasileiros.

ANAC 300x137 Sites auxiliam reclamações do consumidor na área de turismoPara reclamar seus direitos como consumidor, é preciso saber quais são eles. Assim, vale a pena ler a cartilha especial sobre turismo no site do Iebedec (Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo). Outro site útil é o Viaje Legal , do Ministério do Turismo, que traz, entre outras, recomendações para evitar problemas e como proceder quando eles acontecem.

Outro auxílio é registrar a reclamação em sites de defesa do consumidor, como o Reclame Aqui. Depois que a queixa for publicada no site, a empresa é avisada por e-mail para se manifestar sobre o caso. Reclamar em redes sociais como o Twitter e o Facebook pode tornar a resposta mais rápida.

Fonte: Folha de S. Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Spam protection by WP Captcha-Free

 

Parceiros

Revista Travel 3