twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Na Imprensa

16/11/2009

Saiba como fugir dos problemas ao viajar na alta temporada

As irmãs Regina e Marialina farão passeio à Europa em abril e já fazem pesquis

As irmãs Regina e Marialina farão passeio à Europa em abril e já fazem pesquisas

As irmãs Regina e Marialina farão passeio à Europa em abril e já fazem pesquisam Aeroportos, rodoviárias, praias e hotéis lotados devem marcar o próximo verão. A expectativa da Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav) é de que o réveillon e as férias de janeiro sejam os melhores dos últimos 10 anos. Nos destinos mais procurados, como Disney (EUA), Buenos Aires (Argentina) e Nordeste brasileiro, os pacotes já estão praticamente esgotados para esses períodos. A Abav espera incremento de 50% nas vendas tanto em pacotes nacionais como internacionais, na comparação com o mesmo período do ano anterior. A demanda reprimida e o dólar em queda devem ajudar o consumidor a viajar mais.

Ao mesmo tempo em que cresce o número de viajantes, as reclamações tendem a aumentar. “O turismo está crescendo e os problemas são proporcionais”, afirma a advogada Luciana Atheniense. Para evitar problemas, o consumidor deve, antes de mais nada, escolher uma agência de viagem idônea. “Além disso, é bom guardar todos os documentos que vinculam a promessa do serviço e pedir referência da empresa que se está contratando. É bom desconfiar de preços muito baixos, distantes da realidade do mercado. É importante também procurar saber o que está e o que não está incluído no serviço, como meia pensão ou completa, city tour, conexões, horário de voo e da diária do hotel”, afirma Luciana. Ela ressalta que a escolha da agência é um dos primeiros passos para a viagem bem-sucedida, pois elas são responsáveis solidárias pelos serviços prestados ao consumidor.

A coordenadora interina do Procon Municipal, Maria Laura Santos, lembra que os preços também devem ser pesquisados. “No Brasil, não temos tabelamento. Por isso, é importante fazer o contrato com direitos e obrigações”, afirma Maria Laura. O vice-presidente nacional e diretor regional da Abav, José Carlos Vieira, ressalta que o consumidor pode checar na Abav se a agência é associada da entidade e pegar referência com amigos. “Ele deve se cercar de todos os cuidados”, diz. Em viagens internacionais, recomeda que o turista chegue pelo menos com três horas de antecedência ao aeroporto. “Se a pessoa esquecer alguma coisa ou documento, pode voltar em casa para buscar. Além disso, em voos fretados, quem chega primeiro marca o assento melhor”, ressalta.

Fonte: Estado de Minas / UAI / Econômia – Geórgea Choucair
Foto: Emmanuel Pinheiro/EM/D.A Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =

 

Parceiros

Revista Travel 3