twitter.com/viajandodireito facebook.com/viajandodireito linkedin.com/company/1741762 youtube.com/viajandodireito Newsletter RSS UAI

Notícias

28/06/2019

Saiba como funciona e como escolher o seguro viagem ideal

Ter um seguro viagem é essencial, mas melhor ainda é não precisar usálo. Entenda também tudo sobre as vacinas que o turista deve tomar antes da viagem.

Imprevistos acontecem e podem ser extremamente desgastantes durante qualquer viagem. Foi pensando nisso que 26 países estabeleceram o acordo de Schengen, que obriga a contratação de um seguro viagem para turistas. No tratado, foi estipulado um valor mínimo de 30 mil euros para todos os viajantes.

Apesar do valor de 30 mil euros estipulado pelo tratado, o turista vai pagar apenas um valor de acordo com o total de dias viajando. Geralmente, o valor do seguro para viagens internacionais é de R$ 9 a R$ 25 por dia.

A maioria dos seguros cobre despesas médicas mas também outros serviços como suporte jurídico, indenização por extravio da bagagem, auxílio em caso de perda de documentos e reembolso por atrasos ou cancelamentos de voos.

Como faço para contratar um seguro viagem?

Existem várias empresas no mercado que são especializadas em seguro viagem e que são facilmente acessíveis. Além das agências de turismo, muitas vezes a própria bandeira do cartão de crédito usado para comprar a passagem aérea também oferece a proteção. Vale a pena consultar a operadora do cartão, especialmente se ele for do tipo gold ou platinum.

Qual seguro devo contratar?

No momento da contratação do serviço é importante ficar atento à cobertura de cada plano, que pode ir do mais simples ao mais completo. Para identificar o plano ideal, o viajante deve fornecer informações exatas do seu período de viagem e suas atividades turísticas.

Cada turista possui a sua especificidade, alguns precisam proteger também seus equipamentos eletrônicos como computadores, equipamento fotográfico e celulares. Já outras pessoas precisam de um seguro mais específico por conta das suas atividades – caso dos viajantes que praticam esportes radicais como escalada, mergulho ou esqui, por exemplo. Portanto, a dica é: analise com calma suas principais necessidades para escolher seu plano.

Como utilizar o seguro viagem?

O ideal ao fazer uma viagem internacional é prevenir-se de qualquer coisa que possa ser desagradável. Por isso, é importante levar os dados de contato da sua seguradora sempre consigo.

Há uma grande diferença entre seguro e assistência de viagem: normalmente o seguro reembolsa as despesas do viajante, que paga as contas do próprio bolso e depois submete notas fiscais e laudos médicos à seguradora. Já a assistência recomenda que o viajante faça uma triagem por telefone e, se necessário, encaminha o cliente a um hospital credenciado ou manda um médico até o hotel. Atualmente a maioria das empresas comercializam um produto híbrido, que funciona como assistência ou seguro a depender da gravidade da ocorrência.

Saiba se seu destino exige alguma vacina

Outra forma de garantir uma viagem sem imprevistos é ficar atento às vacinas necessárias de acordo com seu destino. O ideal é que a pessoa mantenha sempre a carteira de vacinação em dia, em conformidade com o calendário brasileiro de imunização.

A única vacina que pode ser exigida pela imigração de um país é a da febre amarela. Ela é exigida especialmente em países tropicais, onde os mosquitos transmissores do vírus circulam mais. Vale lembrar que ela deve ser aplicada pelo menos 10 dias antes do embarque, para garantir a eficácia da imunização.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), vários países exigem a apresentação do Certificado Internacional de Vacina ou Profilaxia (CIVP) – documento que comprova a vacinação contra a febre amarela.

A Agência Nacional de Vigilância (Anvisa) anunciou a lista atualizada em novembro de 2018. Neste levantamento, a agência listou 135 países que exigem que o turista apresente o CIVP. Veja a lista aqui.

Como emitir o CIVP

  • Primeiro passo é: tome a vacina exigida.
  • Faça a solicitação em https://www.servicos.gov.br/.
  • Aguarde a análise da Anvisa, que pode levar até 5 dias úteis.
  • Imprima o certificado e assine no local indicado.

Como saber se devo tomar uma vacina específica?

Em São Paulo, a Instituto de Infectologia Emílio Ribas oferece aos viajantes informação, orientação e uma avaliação de acordo com o destino do turista. Após a avaliação, se necessário, o paciente é direcionado ao Centro de eferência para Imunobiológicos Especiais (CRIE) para a aplicação da vacina.

Qualquer pessoa pode utilizar o serviço, não é necessário ser paciente do hospital. Para a avaliação, é preciso realizar um agendamento prévio no site do instituto.

Vacinas recomendadas para o viajante:

  • Febre amarela
  • Tétano
  • Difteria
  • Hepatites A e B
  • Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e da Rubéola)
  • Antirrábica (raiva transmitida por mordida animais)

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 5 =

 

Parceiros

Revista Travel 3